Our Blog

Conheci a família do Rafael numa festa da escola da Maria Julia, e a Renata, com aquele barrigão, esbanjava beleza. Ela é daquelas grávidas que quando a gente vê de costas, nem sabe que tem um bebê por vir.

Marcamos um ensaio da barriga (o Rafa já quase chegando) para um sábado de manhã, uns dois dias depois de fecharmos. Foi mesmo bem rápido. A gente não queria arriscar perder esse momento (graças a Deus!). E mesmo marcando bem próximo à data, sem saber se choveria ou se os lugares estariam cheios, tudo deu tão certo, daquele jeito que chega a deixar todo mundo surpreso.

Havíamos combinado na igrejinha de São Francisco,  onde alguns anos antes, Renata e Alexandre haviam se casado. De cara, amei a ideia. Quando chego lá, um casamento sendo arrumado, quase começando. Um casamento lindo, certamente como havia sido o deles. Então, mudança de planos: Parque da cidade. Estávamos com o Zigg, cãozinho da família, e seria uma outra opção onde ele poderia participar. Chegando lá, havia tantos carros, que ficava impraticável aproveitar o espaço. Estava lotado. Sempre muito bem humorados, sem-tempo-ruim, fomos descendo e pensando em outras possibilidades. Naquele momento, já sentia a harmonia daquela família. A cumplicidade entre os três, tranquilamente tendo novas ideias. Já me sentia tão à vontade com eles, como se aquele encontro já tivesse acontecido antes. Muitas vezes.

Paramos na descida do parque, num cantinho bem especial, daqueles que à primeira vista, ninguém dá nada. Um cantinho que conheci com uma amiga fotógrafa um tempo atrás e deixou em mim a vontade de fotografar ali também. Assim: sem planos fechados, surpreendente, leve, charmoso e único, como a família do Rafael. Ali, fizemos uns clicks especiais com Zigg. Depois, partimos sem ele para a Fortaleza Santa Cruz, onde fizemos o restante das fotos. Foi um tempo lindo: Leve, natural, cheio de risada. Ganhei uma assistente e tanto: Juju dava idéias, posicionava o sapatinho, os pais, o coração. Alexandre encontrou uma flor linda, uma “dente-de-leão”, que eu AMO e nunca tinha visto naquele lugar. Um lugar que já havia ido diversas vezes. Dessa vez, com eles, foi diferente. Foi único. Ele pegou a flor, deu pra Renata, Juju soprou ao vento seus desejos. Em direção a Rafael, dentro da barriga. Não vou me esquecer: falei pra ela “flor, fecha os olhos e faz um desejo bem especial, de dentro do seu coração”. Ela se concentrou, fechou os olhos com força, e soprou. Dava pra sentir a fé no desejo dela. A beleza daquele instante, para tantos, tão bobo. Pra mim, eterno. Registrado não só na lente da câmera. Mas do lado de dentro.

Juju, deseje sempre assim: olhos fechados, sopro forte, certeza no que está por vir. Mesmo quando a gente não sabe ainda o que é.  Deseje com toda essa paixão. Esse charme de flor, que você tem. Daqui a pouco, o Rafael, seu irmãozinho, vai chegar e você vai poder ensinar pra ele como desejar forte. E como deixar ir com o vento o que precisa ir, também. Ele tem sorte de ter uma irmã como você.

Renata, Alexandre… quanta sorte. Sorte de vocês terem se encontrado, de terem construído essa família tão bonita. Vocês me ensinaram sobre como ser “nós”, em forma de laço. Laço apertado, que é pro amor brotar. Sorte pela Juju, sorte pelo Rafa. Sorte deles também. Sorte pelo brilho no olhar que vocês têm. Vocês dois. Sorte pelo amor que a gente vê, que não é pose, é movimento. Não é atuação, não é riso amarelo. É verdade, é puro, é nítido. É o foco. Pra quem quiser (e puder) ver.

Obrigada. Sorte a minha por conhecer vocês e participar de tudo isso. Minha lente agradece, minha alma também. Tive um dia maravilhoso depois do nosso encontro, e sei porque. Vocês me deram um tanto da leveza que têm. Mais uma vez me convenço: quando a gente divide, só faz somar.

Depois do ensaio de vocês, o tempo fechou, lembra? O céu azul se tornou cinza, a chuva veio com calma, quase como quem tem preguiça. Ela esperou a gente. Esperou encontrarmos o lugar, esperou incluirmos o Zigg, esperou os carinhos trocados entre vocês à beira da bahia, o sol quentinho sobre a barriga da Rê. Esperou tirarmos todas as fotos que queríamos, esperou a Juju fazer um desejo, soprando a flor. Esperou serem leves, serem vocês, diante da câmera. Diante da vida. Que seja sempre assim. Que vocês, cheios de beleza, de leveza, de prosa… sejam “preguiçosamente felizes”. E daqui a pouco, sem pressa, o Rafael chega. Que é pra azular ainda mais esse mundo de vocês. Que a chuva espera pra cair. E quando cai, é chuva de bênção.

 

ANA_0407 ANA_0401 ANA_0408 ANA_0409 ANA_0484 ANA_0456 ANA_0441 ANA_0467ANA_0412ANA_0539 ANA_0550 ANA_0564 ANA_0553-2 ANA_0587 ANA_0601 ANA_0614 ANA_0624 ANA_0619 ANA_0644 ANA_0645 ANA_0655 ANA_0666 ANA_0792 ANA_0839-2 ANA_0789ANA_0820 DSC_0058 DSC_0040 ANA_0758 ANA_0594 ANA_0597

Comments ( 0 )

    Leave A Comment

    Your email address will not be published. Required fields are marked *